Seguidores

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

A VERDADE SOBRE OS ANJOS



por Vera Ghimel - veraghimel@oi.com.br

Sempre senti um carinho especial pelos anjos. Desde criança os imaginava com aquele jeitinho de criança feliz. Rostos redondos, asas muito brancas e olhar doce.

Com o passar do tempo, foram se tornando adultos junto comigo. No meu imaginário eram belos, fortes, com suas asas muito exuberantes. Perguntava-me porque estavam ali, embora não os visse realmente. Qual seria a sua verdadeira função? Com o tempo, essas belas manifestações ficariam catalogadas como rituais esotéricos. Como nas evocações dos devas, espíritos da natureza.

Nessa minha jornada, percebi que aos poucos, essa verdade também seria desvendada. O Renascimento desprogramava o nosso contrato de reencarne, nos autorizando a renegociar o nosso karma; a limpeza dos 21 dias retirava travas, a oração da integração nos libertava de todos os empecilhos auto-impostos para que não obtivéssemos as graças pedidas; a retirada de arquétipos, mais conhecida por alinhamento energético, transformava na UNIDADE os nossos fragmentos construídos em nossa atual vida. Faltava mais alguma coisa. Algo que mexesse com a nossa estrutura espiritual de nascimento. Como se fossemos direto à nossa matéria-prima, a Alma, ou à expressão dela em nós.

Foi com muita pesquisa que cheguei à informação dos 7 Anjos da Criação.

Nossa matéria-prima é feita da combinação desses 7 anjos. Por isso que se diz que o mundo foi feito em 6 dias e no último Deus descansou. Para cada um deles existe uma série de características específicas. Se na hora do nosso reencarne essas características estão fracas, isso se manifestará em nossa vida aqui na Terra.

Para exemplificar, usarei uma analogia comum. Faz de conta que temos 7 cozinheiras fazendo o mesmo bolo com a mesma receita e mesmo material. Com certeza, teremos 7 bolos diferentes. Um mais salgado, outro mais doce, um mais crescido, outro mais reduzido, e assim por diante.

Nós também somos feitos assim. Ao escolhermos nascer naquele determinado dia e hora, já estabelecemos como será a nossa “mistura”. Isso conclui as informações do meu recente texto - “Por que Deus não me atende?” - contido no site. É preciso mexer nessa estrutura.

Simultaneamente, cheguei às informações sobre os 12 arquétipos de base, que nos acompanham desde o nosso nascimento, com a mesma estrutura de força e influência dos 12 Anjos da Criação. Coincidência? São a mesma coisa? Isso eu não sei responder.

Estou fazendo as duas coisas: retirando os 12 arquétipos de base dos pacientes, colocando-os na UNIDADE, para que voltem para a personalidade já equilibrados ou neutralizados na UNIDADE, como queiram. E fazendo diariamente a invocação dos 12 Anjos da Criação.

Para melhor entendimento, descreverei a função de cada um deles:

O primeiro Anjo da Criação é o ARCANJO MIKHAEL, Anjo da Luz, invocado no domingo e que nos traz audácia, brilho, espírito de liderança, autenticidade, tenacidade. Define nosso modo de ser e como percebemos a vida.

O da segunda-feira é o ARCANJO GABRIEL, Anjo dos Portais que nos traz predisposições subconscientes (vida espiritual e magia) e reações ao meio (equilíbrio do masculino/feminino - energia sexual).

O da terça-feira, o ARCANJO SHAMAEL, é o Anjo da Justiça, trazendo a defesa das idéias, o desejo da auto-afirmação, a briga pelo próprio espaço, a coragem, a audácia e a iniciativa, a intuição e o poder emocional, o controle das paixões, a confiabilidade e o espírito de luta; em resumo, a expressão dos desejos e vontades e como a pessoa se afirma na vida.

O da quarta-feira, o ARCANJO RAPHAEL, é o Anjo do Equilíbrio, nos trazendo a defesa da liberdade, da igualdade e da ecologia, o raciocínio profundo, os estudos, a lógica, a comunicação e a abertura da mente, a afabilidade e o anti-racismo, a busca do Conhecimento Universal, a capacidade de avaliação profunda, a aceitação dos outros com seus modos de ser e de viver, a clareza mental e a concentração, os relacionamentos livres sem o domínio da subserviência. Em resumo, traz direção de pensamento e do modo de se comunicar.

O anjo da quinta-feira, o ARCANJO TZADKIEL, é o Anjo da Abundância, nos trazendo o desenvolvimento de uma filosofia de vida, pautando-se por ela, o sentido da moral e da ética, o equilíbrio da força, do otimismo, o comedimento em todos os sentidos, o fluir dos aspectos da generosidade, que trata da distribuição dos valores, sem restrição; o justo juízo que leva o poder de harmonizar forças opostas, a visão da UNIDADE e de que nada existe em separado. Em resumo, nos influencia no modo de nos desenvolvermos e de termos confiança na vida.

O anjo da sexta-feira, O ANJO HANNIEL, O Anjo da Harmonia, nos traz conforto, graça, sonhos, beleza, habilidades manuais, simpatia, relacionamentos amorosos, sentimentos, idealismo, imparcialidade, tato. Em resumo, a expressão da afeição, da auto-estima e da dedicação.

O Anjo do sábado, ARCANJO ORIFIEL, O Anjo da Guarda, nos traz a organização, o cumprimento das leis, o servir, o conhecimento dos limites, a calma, a sabedoria, o autocontrole, a cautela, a prestatividade e a espontaneidade. Em resumo, como a pessoa procura se estabelecer e se preservar através dos tempos.

Comecei as invocações no último domingo, aproveitando minha ida para a fazenda, em Uberlândia (a mesma que resultou no texto “A Terra Prometida”). Observei que a cada dia surgia uma situação semelhante ao que o anjo trazia. No domingo, com Mikhael comecei a observar os acontecimentos referentes a esse anjo. Na segunda, com o Arcanjo Gabriel, sonhei muito com situações de conjugalidade. Terça, dia do Shamael, da justiça, me ligaram pedindo socorro para um homem que está no corredor da morte, no Texas, há 19 anos, aguardando a injeção letal. O caso foi para a Suprema Corte Americana para ser revisto. Um caso típico de injustiça por ele ser negro. Ele é inocente.

Na quarta, com Raphael invocado, me telefonaram solicitando ajudar um menino de 5 anos, internado com câncer. Quinta, pela influência do Arcanjo Tzadkiel, da abundância, a empregada de minha mãe, contando-me sobre um acontecimento pessoal, me sensibilizou para que eu lhe desse o dinheiro que faltava para que seu filho cego, juntamente com esposa e filho, pudessem alugar uma casinha no interior do estado. Na sexta-feira invoquei o Hanniel e tive muitos contados de puro afeto.

Assim, percebi que as respostas estavam ali a cada invocação (invocar - pedir a interferência, evocar - pedir a presença); o que eu estava trazendo para mim estava tendo sua projeção para fora. Não era coincidência. O que “Somos” se projeta para fora e eu, com a invocação diária, estou “Modificando” a minha essência, a tal “composição do bolo”. As situações se aproximam como numa resposta ao que está sendo feito.

Na imagem que ilustra este texto, estou de costas numa roda, onde foi fotografado o final das invocações. O resultado foi essa quantidade de energia, num local de pouca iluminação. As invocações para cada anjo, se encontram no meu texto do Clube STUM.

Estas informações sobre os Arcanjos pertencem ao trabalho de Cabala Pessoal do Centro de Estudos Mahatma. Com agradecimentos ao editor deste Centro,Vicentine, que permitiu a publicação. Para mais informações sobre Cabala Pessoal visite o site
http://centromahatma.cabal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...